Video

ÍNDIO CIDADÃO? (DF/2014, 52′)

Um filme de Rodriguarani Kaiowá e Equipe.

CONTATOS

indiocidadao.doc@gmail.com / rodrigo@7gdocumenta.com.br / https://www.facebook.com/indiocidadao

SINOPSE

A União das Nações Indígenas, em ato de desobediência civil contra a tutela do Estado, coordena movimento político de participação popular na Constituinte (1987/88). Vinte e cinco anos depois, o Movimento Indígena ocupa o Plenário da Câmara dos Deputados e realiza Mobilização Nacional em Defesa dos Direitos Constitucionais ameaçados pelo próprio Congresso Nacional. A Nação Kaiowa e Guarani, alheia ao Direito e à Justiça, revela a narrativa testemunhal do genocídio indígena em marcha no estado do Mato Grosso do Sul.

FICHA TÉCNICA

Direção: RODRIGO ARAJEJU.

Direção de Fotografia: ANDRÉ CARVALHEIRA.

Som Direto: ALISSON MACHADO.

Montador: SERGIO AZEVEDO.

Direção de Arte: MARCIA ROTH.

Ilustrações: JOÃO TEÓFILO.

Animação: MARCIA ROTH e MALLO RYKER.

Assistente de Direção e Produção: MARCOS VINÍCIUS FERREIRA.

Câmera extra: DAVI ALVES e ALISSON MACHADO.

Estagiária: MARINA BRUNALE.

Pesquisa: 7G DOCUMENTA.

Roteiro: RODRIGO ARAJEJU e SERGIO AZEVEDO.

Produção Executiva: ISADORA STEPANSKI.

Coordenação de Produção: RODRIGO ARAJEJU.

Coprodução: 7G DOCUMENTA e MACHADO FILMES.

Produtoras associadas: ARGONAUTAS, 400 FILMES e BASE AUDIOVISUAL.

Apoio de Produção: TV CÂMARA.

Apoio Institucional: AIK PRODUÇÕES; CONSELHO INDIGENISTA MISSIONÁRIO; PROJETO SÉCULOS INDÍGENAS NO BRASIL; KARIOKA MULTIMEDIA PRODUÇÕES; IKORÊ PRODUÇÕES; ARTICULAÇÃO DOS POVOS INDÍGENAS DO BRASIL; MEMORIAL DOS POVOS INDÍGENAS; CULT VIDEO; VÍDEO MASTER; BALAIO CAFÉ; PADÊ PRODUÇÕES; COLETIVO MURUÁ; e CEICINE.

PATROCÍNIO

FUNDO DE APOIO À CULTURA – FAC/DF SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA DO GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL – SECULT/GDF

EXIBIÇÕES

DESCRIÇÃO DO FILME

Filme resgata a campanha popular das Nações Indígenas na Constituinte (1987/88) e documenta as duas Mobilizações Nacionais em Brasília, ocorridas em 2013, contra os ataques legislativos do Congresso Nacional aos direitos constitucionais dos Povos Originários. A Nação Kaiowá Guarani traz à tona a narrativa testemunhal do genocídio indígena em marcha no Brasil, com o assassinato impune de centenas de lideranças na última década. O filme apresenta depoimentos e falas públicas de importantes lideranças indígenas, como o cacique Raoni Metuktire, Ailton Krenak, Sonia Guajajara, Davi Kopenawa, Álvaro Tukano, Valdelice Veron, entre outros.

Com forte pesquisa de acervos públicos e privados, traz episódios históricos da luta indígena no debate político do Congresso Nacional. A narrativa é conduzida por meio do depoimento da liderança Valdelice Veron, do Grande Conselho Aty Guasu. Ela expõe o drama pelo extermínio que a Nação Kaiowá Guarani vivencia há décadas no estado do Mato Grosso do Sul. Valdelice testemunhou o assassinato do pai, cacique Marcos Veron, durante o processo de retomada de sua terra Tekoha Takuara em 2003. Doze anos depois, a terra tradicional ainda não foi demarcada. Valdelice e Ládio Veron estão ameaçados de morte e negligenciados pelo Estado, embora cadastrados em Programa de Proteção a Vítimas e Testemunhas Ameaçadas da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República.

O diretor Rodrigo Arajeju relata a urgência do tema: “O ÍNDIO CIDADÃO? foi idealizado para revelar a ótica dos Povos Originários sobre a história recente da garantia legal dos direitos à terra e à vida tradicional, no marco dos vinte e cinco anos de promulgação da Constituição Federal (2013). Contudo, nas filmagens, registramos a impactante narrativa testemunhal do genocídio contemporâneo dos Kaiowa Guarani. Surgiu, assim, o compromisso de reverberar as vozes de mais uma Nação Originária, sendo dizimada no Brasil, diante da omissão cúmplice do Estado e da sociedade”.

Advertisements

ÍNDIOS NO PODER

.ail

 

Há dois meses do 1º turno das Eleições 2014, é fundamental retomar as reflexões de Ailton Krenak, documentadas no filme ÍNDIO CIDADÃO (DF/2014, 52’), sobre a representatividade indígena no Congresso Nacional.  As informações sobre candidatos ao pleito eleitoral estão disponíveis no site http://www.eleicoes2014.com.br/, com a confirmação de candidaturas indígenas para concorrer aos cargos de Deputado Federal, Senador, Deputado Estadual e Distrital. Mantendo a independência e sem tomar ou tirar partido, divulgaremos os candidatos indígenas e suas propostas no intuito de contribuir com o debate de ideias necessárias para formar o convencimento dos eleitores.

O tema da representatividade política foi recorrente durante as filmagens, sendo grande a preocupação do Movimento Indígena pelo abismo de 30 anos na eleição de parlamentar indígena para o Congresso Nacional. O fato rendeu homenagem ao deputado federal Mario Juruna, da Nação Xavante, na parte final do filme. Mario Juruna foi o único representante direto dos Povos Originários nos 123 anos de Parlamento na República do Brasil, com exercício de mandato na 47ª Legislatura (1983-1987). A inquietação também motivou a inscrição do projeto de novo filme, provisoriamente intitulado “ÍNDIOS NO PODER”, recentemente selecionado no Edital Curta-Metragem 2013 do Ministério da Cultura.

A chance da eleição de candidato indígena para o Congresso pelo voto direto dos Povos é mínima, considerando que é uma minoria que compõe a pluralidade da sociedade brasileira. A Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 320/2013 (http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra;jsessionid=C48052BF5B39DB21C1B99E276BBCD7B8.proposicoesWeb2?codteor=1148145&filename=PEC+320/2013), de autoria de deputados da Frente Parlamentar de Apoio aos Povos Indígenas da Câmara, pretende incluir na Constituição Federal a criação de “vagas especiais de Deputado Federal para comunidades indígenas” para reverter essa barreira do sistema eleitoral. No entanto, alguns estados detêm eleitores suficientes para definição do pleito em prol de candidatos indígenas pelo voto dos parentes. Para alcançar este objetivo, os Povos Indígenas, em Roraima, unificaram seu apoio aos candidatos a Deputado Estadual e Federal durante a 43ª Assembleia Geral dos Povos Indígenas no estado, realizada entre os dias 10 e 15 de março de 2014 na Terra Indígena Raposa Serra do Sol.

O embate para demarcar a presença de representante indígena em um dos plenários do Congresso Nacional é tema de primeira importância para o Movimento. A conjuntura política, no Legislativo Federal, tornou-se, declaradamente, anti-indígena nas últimas legislaturas, com a Bancada Ruralista investindo diretamente contra a demarcação de terras indígenas e pela supressão dos direitos constitucionais, garantidos pela Emenda Popular da Campanha Povos Indígenas na Constituinte, durante a Asembleia de 1987/88. Enquanto na Bolívia o primeiro presidente indígena eleito na história, Evo Morales, fundou uma nova era de direitos e inclusão com a fundação constitucional do Estado Plurinacional, no Brasil assistimos a uma permanente Mobilização Nacional Indígena pela defesa da manutenção de direitos e cumprimento das garantias mínimas de cidadania.

Convido-te a acompanhar nossas publicações sobre os candidatos indígenas e a participar dos debates sobre a importância da representatividade política dessa minoria.

05 de agosto de 2014.

Rodrigo Siqueira, diretor do filme ÍNDIO CIDADÃO? (DF/2014, 52’).